Economia linear
e circular

O que é?

Como funciona a nossa economia atualmente?

Neste momento funcionamos com um modelo de economia linear: fazemos um produto, utilizamos e depois deitamos fora. Se isto continuar a acontecer eventualmente a Terra irá acabar sem recursos e com muitos resíduos.

O que é a economia circular e porque é importante?

Na economia circular: fazemos um produto, utilizamos e no final transformamos este produto num outro produto, reparamos ou encontramos aplicações para os resíduos e subprodutos criados durante o processo de produção. Este ciclo poderá funcionar continuadamente, reutilizando parte dos recursos e reduzindo  a produção de resíduos.

Como é que a economia circular funciona na prática?

Por exemplo, ao produzirmos um produto, fabricamos de modo a que no final do seu ciclo de vida possa ser facilmente dividido em cada um dos seus materiais componentes de modo a que estes possam ser reutilizados para a construção de outros produtos. Desta forma, conseguimos poupar novas utilizações de recursos naturais.

Na economia atual, compramos um produto e quando ele se parte, se estraga ou fica velho, deitamos para o lixo. Se isto continuar a acontecer, eventualmente iremos acabar por deitar todos os recursos naturais fora.

No modelo de economia circular, o produto avariado é enviado para a fábrica, ou para uma oficina de reparação, sempre que é necessário arranjar ou melhorar. Se não for possível reparar, será desmontado em cada um dos seus componentes e transformado noutros produtos.

Durante o processo de fabrico são gerados resíduos e subprodutos que podem ser utilizados como matérias-primas para outras indústrias, processos e produtos, poupando recursos naturais!

Se pensarmos bem, em muitos casos, nem precisamos sequer de comprar certos produtos, podemos alugar ou partilhar o seu uso.

ECONOMIA LINEAR

ECONOMIA CIRCULAR

CURIOSIDADES

Indústria do papel

A indústria da pasta e papel tem um papel importante para a economia portuguesa. As indústrias florestais são responsáveis por 10,3% das exportações nacionais, sendo que desses 5,7% pertencem à indústria da pasta e papel.

Portugal é líder europeu e representa 60% das exportações do papel de escritórios que é exportado da europa para todo mundo.

70% da energia utilizada na indústria do papel em Portugal provem de energias renováveis (biomassa), acima da média europeia (54%).

Floresta

Em Portugal, a floresta cobre cerca de 40% do território.

A indústria florestal pertence a cerca de 400 000 proprietários e emprega mais de 100 000 pessoas.

As florestas são habitat de 80% da biodiversidade terrestre.

papel e a reciclagem

O papel é um recurso natural, reciclável e biodegradável.

O papel usado pode ser reciclado entre 3 a 5 vezes.

O papel é o produto mais reciclado na Europa (72%).

A CIRCULARIDADE DO PAPEL

O papel é um produto natural, reciclável e biodegradável, proveniente de uma matéria prima renovável que é a madeira de florestas plantadas, respeitando os ciclos naturais.

Os nutrientes no solo, a energia do sol e o carbono retido pela fotossíntese , fazem as árvores crescer. As árvores são transformadas em papel, que é utilizado e depois reciclado ou biodegradado, podendo este processo prolongar-se por vários ciclos.

Veja aqui como funciona a circularidade do papel

PLANTAÇÕES

 

As árvores são plantadas para um dia serem colhidas e utilizadas pela indústria da pasta e do papel.

As plantações florestais são geridas de forma sustentável, procedendo-se à replantação permanente de novas florestas, de modo a assegurar a biodiversidade e a prevenir incêndios florestais.

TRANSPORTE

 

As árvores são colhidas de uma forma responsável, garantindo o balanço equilibrado entre colheita e (re)plantação. Posteriormente são transportada para a fábrica.

FÁBRICA

 

Os troncos são cortados, em pequenas aparas, que são sujeitas a processos industriais de cozimento para obter a pasta de papel.
A pasta é introduzida na máquina juntamente com outros elementos, formando a folha de papel que é enrolada numa bobine (nesta fase podem entrar no processo os papéis recuperados pela reciclagem). No final o papel é cortado e transformado em diferentes formatos para as diversas utilizações.

CIRCULARIDADE DA INDÚSTRIA DO PAPEL

 

A indústria da pasta e do papel é um exemplo de economia circular, reutilizando internamente os seus recursos (ex: reutilização da água usada e subprodutos no processo de produção, ), fechando ciclos e
circuitos, e valorizando uma parte muito significativa dos seus resíduos.
A biomassa (ex: cascas de eucaliptos) e outros subprodutos da indústria do papel, são ainda utilizados para a produção de energia elétrica verde.

SIMBIOSES INDUSTRIAIS

 

Os resíduos de uma indústria podem ser subprodutos de outras, diminuindo a necessidade de uso de matérias-primas virgens e criando novas oportunidades de negócio. A este processo chamamos simbioses
industriais. Nas várias fases do processo produtivo de pasta e papel é gerada biomassa florestal como a casca das árvores, lamas, cinzas ou areias, que podem ser reutilizados na própria fábrica ou por outras
indústrias como matérias primas (ex: construção civil; agricultura).

UTILIZAÇÃO

 

O papel ou cartão pode ser utilizado em forma de cadernos, livros, cartas, jornais, revistas, bilhetes de cinema, sacos para compras, papel higiénico, lenços de papel, guardanapos, caixas de ovos e outras embalagens.
Tudo isto obtido a partir das árvores que plantamos e replantamos!

RECOLHA E RECICLAGEM

 

O papel usado, depois de recolhido e triado, é transformado de modo a poder ser novamente utilizado na fábrica e gerar novo papel. Como as fibras provenientes do papel já usado, reciclado, vão ficando degradadas e mais fracas é necessário adicionar novas fibras frescas de pasta de papel para dar continuidade ao ciclo e garantir a qualidade e o desempenho do novo papel. Tudo tem origem na floresta!

RECICLAGEM

Se colocado no devido contentor (papelão), o papel usado pode começar uma nova vida com outro tipo de utilização.

Não podemos transformar papel usado em papel novo para sempre, porque a qualidade do papel diminui cada vez que é processado, mas ainda o podemos reciclar algumas vezes. Os papéis velhos são usadas no fabrico de papel novo, sempre em conjunto com alguma pasta de papel nova (fibras virgens).

O papel usado pode ser reciclado entre 3 a 5 vezes, num processo que é conhecido pela cascata da reciclagem: papel reciclado; revistas; cartolina; cartão canelado; celulose moldada (ex.: caixa de ovos).

O que não pode ser reciclado?

Toalhas de mão, guardanapos, fraldas descartáveis, papel para embrulhar alimentos, entre outros.

A IMPORTÂNCIA
DAS FLORESTAS

Existem diferentes tipos de florestas, desde florestas naturais às plantações. Todas são muito importantes e complementares.

Funções ambientais

Produção de oxigénio e remoção de dióxido de carbono

As florestas purificam o ar através da fotossíntese, retendo e fixando o carbono e devolvendo o oxigénio à atmosfera.

Promoção da infiltração da água e fixação do solo

As florestas promovem a infiltração da água da chuva, prevenindo  cheias. Protegem os solos contra a erosão da chuva e do vento.

Abrigo para a biodiversidade

Mais de metade de todos os animais do planeta vive nas florestas.

Regularização do clima

As florestas ajudam a  manter o equilíbrio climático e a atenuar os efeitos das alterações climáticas.

Funções socioeconómicas

Produção de energia

As florestas são uma importante fonte de energia, ao produzirem madeira e resíduos florestais que podem ser reaproveitados como biomassa para a produção de energia.

Fornecimento de matérias-primas

Diversos produtos florestais servem de matérias-primas para a construção civil (madeira, cortiça, resina) e para várias indústrias, nomeadamente a farmacêutica (plantas medicinais) e a indústria do papel (celulose).

Elevado valor paisagístico e recreativo

A paisagem florestal é atrativa para o turismo e atividades de lazer. Quase 60 mil milhões de euros são gerados anualmente pelo ecoturismo, a nível mundial.

Criação de emprego e aumento do comércio

O sector da floresta emprega mais de 13 milhões de pessoas pelo mundo. Quase 1% do PIB mundial resulta do comércio de produtos florestais.

Provisionamento de alimentos

Por ano, uma média aproximada de 11kg de alimento por habitante da Terra são fornecidos pelas florestas (castanhas, pinhões, cogumelos, etc.).

A GESTÃO SUSTENTÁVEL
DAS FLORESTAS

A procura de produtos de base florestal no mundo é cada vez maior.  A expetativa é de que a procura anual de madeira triplique até 2050, para mais de 10 000 000 000/m3.

Ler mais

A madeira é um produto natural e biodegradável. No entanto, para assegurar o uso sustentável deste recurso é necessário gerir responsavelmente as explorações florestais e a utilização dos seus recursos.

 

A gestão florestal sustentável é a administração e o uso das florestas de uma forma e a um ritmo que mantenha a sua biodiversidade, produtividade, capacidade de regeneração, vitalidade, e o potencial para satisfazer, no presente e no futuro, funções ecológicas, económicas e sociais relevantes aos níveis local, nacional e global, não causando danos a outros ecossistemas

E como é possível distinguir os produtos que provêm de florestas geridas de uma forma sustentável?

 

É simples, basta procurar a informação nos rótulos das embalagens que muitas vezes é indicada através de certificações.

Em Portugal, as plantações de eucaliptos sob a responsabilidade da indústria a pasta e papel são geridas de forma sustentável e cumprindo exigentes requisitos de certificação florestal internacionais reconhecidos como o FSC® (Forest Stewardship Council®) e o PEFC (™) (Programme for the Endorsement of Forest Certification schemes).

E QUAL O NOSSO PAPEL?

Notícias circulares

  • A Agência Portuguesa do Ambiente, no âmbito das suas competências de promoção e divulgação das atividades de educação ambiental, reconhece que o Projeto “Missão 360 – Defender a

  • Pela 1ª vez a CELPA – Associação da Indústria Papeleira – em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Direção Geral da Educação, desenvolve um projeto educativo de sensibilização am

  • No ano piloto, a Missão 360 chegou a cerca de 50 escolas dos 7 municípios envolvidos. Cada turma inscrita, entre o 2º e o 6º ano, teve a oportunidade de receber uma sessão sobre economia cir